“Cidade das pessoas” dá o tom de programa de Erundina, mas é preciso desenvolver melhor

Relato sobre Sabatina na USP, programa de governo e streaming durante o debate na Bandeirantes

 

Embora tenha sido impedida de participar do primeiro debate televisionado em rede aberta, a candidata Luiza Erundina (PSOL) pôde falar um pouco mais sobre suas propostas de mobilidade em três ocasiões distintas: a exposição de ideias/sabatina promovida pela Rádio e TV USP; a publicação de seu programa de governo e o streaming ao vivo pelo Facebook Live, ocorrido concomitantemente ao debate da Bandeirantes. Infelizmente, neste último, embora a oportunidade para falar estivesse ali, o tema mobilidade não apareceu.

O principal balisador das propostas da candidata ainda é a resposta dada na Sabatina do UOL, quando disse que quer construir “a cidade das pessoas”, e não dos automóveis. A mesma ideia aparece agora reformulada em seu programa de governo, sucinto mas afirmativo: “incentivar o transporte ativo e compartilhado em substituição à cultura do automóvel”.

Com relação à mobilidade em geral, Erundina focou-se principalmente em propostas para transporte coletivo. Rever a frequência dos ônibus nos finais de semana; adotar o passe livre de forma progressiva a partir dos finais de semana; incentivar a operação 24h; e priorizar o fluxo nos corredores são as propostas que apareceram. Na USP, Erundina comentou também que pretende substituir o diesel por combustíveis limpos.

Embora tenha sido a única a citar a existência da Política Nacional de Mobilidade Urbana, a mobilidade ativa ainda aparece de forma secundária. “Planejar, aumentar segurança e qualidade das ciclovias, inseri-las na periferia” e “integrá-las aos terminais de ônibus e estações de metrô” são boas propostas, mas ainda pouco desenvolvidas. Há bastante espaço para que este discurso cresça caso a candidata apresente metas concretas. Há uma citação tímida sobre as calçadas na conversa na USP, por exemplo, que poderia ter rendido mais pontos caso tivesse sido mais detalhada.

O desestímulo ao uso de vagas por automóveis em logradouros públicos e a reafirmação, em programa de governo, de “continuar e, sobretudo, aperfeiçoar o programa de redução de velocidade nas vias” são medidas importantes para o desincentivo ao motorizado particular e à agenda de zero mortes no trânsito.

Com relação à participação, Erundina pontua por apoiar o trabalho dos conselhos e incentivar a participação local e o protagonismo coletivo local, além de defender campanhas de combate ao assédio e à violência contra a mulher em geral.

 

Sabatina USP

“(Passe livre) Mobilidade é um direito social […] A nossa ideia é implantar o passe livre progressivamente, a começar pelos finais de semana, bem como para o transporte intrabairro.”: repetido com relação à Sabatina do Estadão.

“(Energia) Substituição do diesel por outras formas de energia.”: nova proposta, +175 pontos.

“Vamos deixar a cidade com uma mobilidade mais qualificada […] onde os modais de transporte dialoguem entre si e se complementem no sentido de dar uma mobilidade que responda a todas as necessidades de pessoas que moram nessa cidade.”: repetido com relação à Sabatina do Estadão.

“Inclusive pensar nas calçadas. O andar nas calçadas é um modal de mobilidade. O mesmo para as faixas exclusivas de bicicletas e faixas exclusivas de ônibus.”: relacionado ao item 2.1.3, +375 pontos.

 

Programa de governo

Apoio ao trabalho dos conselhos, por meio do fornecimento de informações necessárias aos seus projetos e da disponibilização de estrutura administrativa para funcionamento: relacionado ao item 4.3.2, +211 pontos.

Estruturação de formas de incentivo à ação e participação em âmbito local, com foco na identificação territorial e no protagonismo coletivo local, tanto através de plataformas virtuais quanto de forma presencial: relacionado ao item 4.3.5, +310 pontos.

Planejar, aumentar segurança e qualidade das ciclovias, inseri-las na periferia, integração bicicletas terminais de ônibus e estações do metrô: relacionado aos itens 1.1.7 (+417 pontos), 1.1.8 (+584 pontos) e 3.1.1 (repetido com relação à Sabatina do UOL).

Assegurar o respeito aos usuários do sistema, tendo como metas: a revisão da frequência de ônibus aos sábados e domingos, em diálogo com os cidadãos; operação 24h, segurança, iluminação e mobiliário urbano; seguimento à política de corredores e faixas exclusivas de ônibus, com a infraestrutura necessária, pavimentação propícia, pontos de ultrapassagem e paradas com estrutura de proteção e bem-estar dos usuários; e ampliação do número de pontos de recarga do bilhete único, priorizando estabelecimentos com horário de funcionamento estendido. Relacionado aos pontos 3.1.2 (complementar ao posicionamento da Sabatina do Estadão, +191 pontos) e nova proposta, relacionada à operação 24h das linhas (+170 pontos).

“Buscar uma Política de Qualidade Ambiental no Transporte Público. // priorização do transporte público, coletivo // (a) priorizar o fluxo dos corredores e vias de ônibus, valendo-se das novas tecnologias”: relacionado ao item 3.1.3 e complementar ao posicionamento apresentado na Sabatina do Estadão (+378 pontos).

Priorização do transporte ativo (pedestres e bicicletas): relacionado ao item 4.3.7 (+134 pontos)

Continuar e, sobretudo, aperfeiçoar o programa de redução de velocidade nas vias: relacionado ao item 5.1.2 e complementar ao posicionamento apresentado na Sabatina UOL (+108 pontos)

“Violência contra a mulher/Assédio  // Campanha de defesa e autodefesa da mulher e combate à violência contra a mulher em geral.  Desenvolver campanhas de combate à violência contra as mulheres direcionadas tanto ao funcionalismo público quanto à sociedade em geral.” Relacionado ao item 2.5.1 (+428 pontos)

Incentivar o transporte ativo e compartilhado em substituição à cultura do automóvel: fomentar as políticas que visam dar maior rotatividade/desestímulo ao uso de vagas nos logradouros públicos e compartilhamento de automóveis. Nova proposta (+400 pontos)

Criação do centro de referência em cultura da mobilidade urbana, para ir além do âmbito da educação no trânsito: relacionado ao item 1.4.5 (+200 pontos).

 

Total: 4.082 pontos positivos. Balanço positivo. Normalizando a pontuação com os demais candidatos, Luiza Erundina fica com 68 pontos.

 

Fontes: Depoimento paralelo feito por streaming no Facebook Live durante o debate da Band, apresentação de propostas no Debate da TV USP e Programa de Governo da candidata.