A Classificação Internacional de Doenças CID-10

A Classificação Internacional de Doenças, a CID10

Para entender como os dados de ocorrências de trânsito com vítimas aparecem nos sistemas de saúde, é preciso falar sobre a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (em inglês: International Statistical Classification of Diseases and Related Health Problems – ICD), frequentemente designada pela sigla CID.

Em sua décima revisão, a chamada CID-10 fornece códigos relativos à classificação de doenças e de uma grande variedade de sinais, sintomas, aspectos anormais, queixas, circunstâncias sociais e causas externas para ferimentos ou doenças.

A CID-10 está dividida em capítulos, grupos, categorias e subcategorias. “Acidentes de transporte” podem ser encontrados dentro do Capítulo XX – Causas externas de morbidade e de mortalidade > “Grupo – Acidentes” > Categorias “V01 a V99 – Acidentes de transporte”.

As categorias estão divididas por tipo de pessoa e veículos envolvidos, sendo que as subcategorias V90 à V99 não se referem a acidentes terrestres. Nosso recorte, portanto, tende a estar entre as subcategorias V010 à V899, conforme abaixo:

Categoria CID-10 Descrição
V01-V09 Pedestre traumatizado em acidente de transporte
V10-V19 Ciclista traumatizado em acidente de transporte
V20-V29 Motociclista traumatizado em acidente de transporte
V30-V39 Ocupante de triciclo motorizado traumatizado em acidente de transporte
V40-V49 Ocupante de automóvel traumatizado em acidente de transporte
V50-V59 Ocupante de caminhonete traumatizado em acidente de transporte
V60-V69 Ocupante de veículo de transporte pesado traumatizado em acidente
V70-V79 Ocupante de ônibus traumatizado em acidente de transporte
V80-V89 Outros acidentes de transporte terrestre
V90-V94 Acidentes de transporte por água
V95-V97 Acidentes de transporte aéreo e espacial
V98-V99 Outros acidentes de transporte e os não especificados

A Wikipedia possui uma ótima listagem traduzida dos códigos usados pela CID-10, assim como das categorias relacionadas ao Capítulo XX. No entanto, caso você queira uma descrição mais detalhada, é melhor consultar diretamente o site específico dedicado à descrição da CID-10
na Organização Mundial de Saúde (em inglês). Ali explica, por exemplo,
porque as subcategorias V98-V99 não se relacionam a transportes
terrestres.

Cuidado na base de dados sobre internações hospitalares

Ao se estudar os dados relacionados a internações hospitalares, é importante notar que o registro do motivo que levou à internação se dá nos campos de diagnósticos principal e secundário, conforme a Portaria 142 do Ministério da Saúde, vigente a partir de 01/01/1998. O campo de diagnóstico principal se refere ao código do tipo de lesão, presente no Capítulo XIX – Lesões, envenenamento e algumas outras conseqüências de causas externas, enquanto o de diagnóstico secundário receberá o código do motivo da causa externa, referente ao Capítulo XX – Causas externas de morbidade e de mortalidade.1.1- Quando o quadro que levou à internação do paciente for compatível com causas externas, definidas nos Capítulos XIX e XX da Classificação Internacional de Doenças, 10ª Revisão – CID 10.

1.1.2- no campo DIAGNÓSTICO PRINCIPAL, o código referente a
natureza da lesão provocada pela causa externa que motivou a internação,
relacionados no Capítulo XIX da CID 10.

1.1.3- no campo DIAGNÓSTICO
SECUNDÁRIO, o código referente à causa externa que motivou a
internação, conforme o Capítulo XX da CID-10 – Circunstância da Lesão.

(Portaria 142, de 13 de novembro de 1997. Fonte: D.O. 222, de 17/11/1997)

Em resumo, ao usar dados do Sistema de Informações Hospitalares (SIH), os dados de ocorrências de trânsito com vítimas (categorias V01 a V89) estarão nas colunas de “diagnóstico secundário”: DIAGSEC1 a DIAGSEC9 (a partir de 2015) ou DIAG_SECUN (até 2015). Já nos dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), a classificação está na coluna CAUSABAS. A página Como usar as bases de dados do DATASUS traz uma descrição detalhada de como acessar ou baixar os dados integrais do SUS.